OS ETs NÃO VÊM A TERRA PARA PASSEAR

Texto de A. J. Gevaerd, editor da Revista UFO

Que razões trazem nossos visitantes espaciais à Terra? Interesse científico, turismo, curiosidade? Essa pergunta é uma das mais importantes e que mais implicações apresenta no estudo e compreensão da Ufologia. Estudiosos do mundo todo se dividem em tendências ou correntes de pensamento a respeito do que seriam os motivos pelos quais os extraterrestres estão aparecendo em nosso planeta.

Alguns defendem ardorosamente a tese segundo a qual nossos visitantes seriam uma espécie de “irmãos cósmicos”, que vêm à Terra para nos alertar quanto a um cataclismo eminente e prestes a dizimar a humanidade do mapa universal. Certos defensores dessa teoria imaginam até que estes mesmos seres promoveriam uma evacuação de nosso planeta.

Outros ufólogos acreditam na hipótese de que os alienígenas tenham uma essência maligna e que estão vindo à Terra apenas para buscar aquilo que necessitam – células, sangue e até órgãos humanos e de animais. Os pesquisadores mais radicais dessa ideia argumentam ainda que as abduções, tão abundantes em todo o mundo, são os meios pelos quais os visitantes satisfazem inclusive seu apetite sexual, sem a menor compaixão por nós.

É evidente que ambas as ideias acima expostas são radicais e exageradas. Mas é alarmante o número de ufólogos e ufófilos do planeta que se agarram a elas como se fossem modelos perfeitos para explicar o Fenômeno UFO. Da mesma forma – felizmente – entre um e outro posicionamento existem dezenas de hipóteses que buscam tratar e compreender a questão de uma forma ponderada e, com certeza, mais responsável.

No entanto, esquecem-se os ufólogos de que qualquer explicação que se tente dar aos UFOs passa primeiramente pela análise de uma condição básica: nossos visitantes provêm de inúmeras origens no universo, o que implica, obrigatoriamente, que tenham inúmeros objetivos e condutas diferentes com relação aos seres humanos terrestres e nosso planeta.

Assim, o problema mais grave da Ufologia passa a ser a generalização do tema, que desconsidera por completo a natureza plural dos extraterrestres. Tratá-los como criaturas angelicais ou intrusos sanguinários é tão equivocado do que considerar que todos, sem distinção, façam parte da primeira ou da segunda categoria.

Sim, alguns deles podem, de fato, ser nossos “irmãos cósmicos” buscando orientar nossa gente quanto aos problemas que enfrentaremos no futuro, sejam eles cataclismos ou de outros tipos. Assim como alguns podem ser mesmo “vampiros siderais” que se locupletam removendo úteros e cérebros de indefesos seres humanos.

O que falta à maioria das pessoas envolvidas em maior ou menor grau com o Fenômeno UFO é ter uma visão mais completa, abrangente e panorâmica da Ufologia. Mente aberta às possibilidades, inclusive aquelas improváveis, é absolutamente essencial para que se compreenda melhor a complexidade do tema. Dentro da Ufologia, mesmo aquilo que é considerado impossível não pode ser desprezado. Isso, evidentemente, é um fator complicador que desestimula aqueles que, movidos por interesse científico, se debruçam sobre a casuística e a encontram como uma verdadeira Torre de Babel.

(Esta foto foi feita por militares da Gendarmeria francesa nos anjos 70, levando o Governo Francês a reconhecer que os UFOs existem e são extraterrestres em 1976 — 22 anos após o Brasil fazer o mesmo, porém sem propaganda alguma)

Gendameria

Esta entrada foi publicada em Texto. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a OS ETs NÃO VÊM A TERRA PARA PASSEAR

  1. Aviso de ETs disse:

    OS ETs NÃO VÊM A TERRA PARA PASSEAR | Grupo Aldebaran de Investigações e Debates Ufológicos Conheça a mensagem de Ashtar Sheran, Comandante da Frota de Extraterrestres, que foi casualmente recebida por brasileiros. Acesse https://goo.gl/4blGrc e Saiba Mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *