Relatório sobre agrogligo de Prudentópolis

SURGE MAIS UM RELATÓRIO QUE COMPROVA QUE O AGROGLIFO DE PRUDENTÓPOLIS NÃO FOI FEITO POR MÃOS HUMANAS. 

Dois professores universitários foram a Prudentópolis, investigaram e comprovaram a autenticidade da figura de 06 de setembro. Um deles é Carlos Alberto Machado e outro é Emmanoel Sanchez. Vejam o currículo do professor Emmanoel Sanchez e comprovem sua capacidade de analisar o agroglifo de Prudentópolis:

“Engenheiro agrônomo, mestre em engenharia agronômica pela Unicentro, especialista em recuperação de areas degradadas, tecnologias sociais ecológicas e planejamento de conversão agroecológica. É também professor da Faculdade Guarapuava e do Colégio Agrícola do Governo Estadual do Paraná, diretor de projetos do Instituto Rede RAMA, e diretor da empresa Terra Mãe Agrotecnologias. Por fim, é também professor de pós-graduação em biotecnologia da Faculdade Campo Real.”

Não é pouca coisa. Ele baseou-se em meu relatório inicial sobre o agroglifo de Prudentópolis e fez também suas próprias análises do solo onde a figura apareceu e das plantas que os integrantes do o Instituto Rede RAMA colheram no local em 07 de setembro. Em seu relatório, minucioso, ele descreve como fez seu trabalho e por fim oferece a seguinte conclusão:

“O fenômeno do agroglifo de Prudentópolis, como ficou popularmente conhecido, não pode ter sido feito por ação mecânica. Entenda-se como ação mecânica a ação de trânsito com máquinas e equipamentos agrícolas, bem como pisoteio por animais ou pessoas.”

Abra o relatório aqui.

Esta entrada foi publicada em Agroglifos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *